ANUNCIAÇÃO

Cantou Alceu Valença: ”Tu vens, tu vens, eu já escuto os teus sinais”. Pelo Anunciação, os estudantes do curso de Direito são sujeitos ativos na condução da justiça e liberdade a quem foi preso de forma injusta e ilegal através da produção de Habeas Corpus, com o auxílio de profissionais que atuam na seara criminal. Recentemente, no ano de 2019, a iniciativa lançada em 2017 teve reconhecimento do Instituto Mattos Filho como uma das 18 iniciativas mais promissoras na promoção de acesso à justiça no país.

Confira aqui nosso edital
III ANUNCIAÇÃO

1/14

Lucas Arieh

Acadêmico do curso de Direito da UFRN

O Anunciação se coloca em posição de vigília pelos injustiçados, pelos pés-descalços e vestes esfarrapadas que seguem em marcha cerimonial até se encontrarem com o destino quase incontornável de uma condenação programada desde que nasceram nos bolsões de pobreza da nossa desigual (e, por outro lado, nada cerimoniosa com relação a isso) cidade.

A iniciativa do Projeto Capitólio, uma das mais emocionantes e intensas que o curso de Direito da UFRN pode proporcionar, oferece uma realidade cruenta e sensível, capaz de levar ao choro quem ainda sente amor pela humanidade. Talvez por isso tenha sido bem-sucedida no que nos compete, o engajamento e a diligência no trato com o assistido, a despeito do acolhimento ou não da tese levada a juízo, algo que, efetivamente, não nos esteve ao alcance.
Por combinar Direito e resistência, alinhando-nos à pratica de excelência de vários dos maiores defensores criminais natalenses, devo recomendar o projeto aos entusiastas da vida em liberdade e àqueles que, sem arredar de lugar, desconfortam-se com a realidade que se nos apresenta. 

Lívia Vieira

Acadêmica do curso de Direito do UNI-RN

Enquanto pesquisadora das implicações dos direitos humanos na seara penal, não poderia ter deixado de lado a experiência na I edição do Anunciação. Digo isso porque através dessa brilhante iniciativa do Capitólio, eu pude ver de perto a realidade de uma audiência de custódia, não apenas no que tange a sua ritualística, mas a forma como os representantes se colocam durante aquele momento. Arrisco dizer que a experiência no Anunciação vai além do conhecimento prático na feitura de um Habeas Corpus ou processualística penal, mas é um verdadeiro ensinamento de humanidade e de como nós, enquanto futuros operadores do direito, podemos mudar na realidade prática de quem chega ali, descalço e sem qualquer perspectiva. Deixo registrado o meu eterno agradecimento ao Capitólio.

Leonardo Cardoso

Acadêmico do curso de Direito da UFRN

Experiência diferencial no curso de direito. Talvez menos pela prática processual, dita nos termos formais, mas pelo contato fascinante com uma realidade que não se pode mesmo imaginar das salas onde estudamos sobre a audiência de custódia.

Foi mesmo algo que despertou em mim o senso de responsabilidade que os advogados tem na sociedade e também o dever do alunado de direito em mudar os paradigmas das profissões próximas ao processo penal. Um projeto a se perpetuar no curso de Direito da UFRN, para benefício de todo o Estado do Rio Grande do Norte.

Capitólio

Feito com carinho por Lara Marinho